sábado, 3 de setembro de 2011

Quem está aí? A carência.

Ultimamente ando tão sem tempo que certas vezes me pergunto em que momento devo viver. É trabalho, faculdade, trabalho voluntário, ser filha, irmã, amiga, conselheira... E apesar de todos os papéis tem horas que ainda sinto falta do papel de ser namorada.

Nunca fui de ser carente, mas nos últimos tempos a carência tem me tomado de maneira incrível. Carência de alguém, mas não qualquer um. Carência de ter aquele certo alguém ao qual se referia Lulu Santos em sua música, vontade de ter alguém que de vez em quando me faça esquecer dos meus problemas e pensar apenas no momento.

Certo alguém, se estiver lendo estas palavras estou aqui te esperando, vê se não demora porque posso mudar de ideia! rs

Chega de carência por aqui (por hoje).


Don't worry. Be happy!

Beijos e se cuidem queridos.

terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

Sensualidade x Vulgaridade


Vira e mexe nos deparamos com algumas mulheres que parecem não entender  o que a sensualidade realmente é. Tudo bem que o ser sexy varia de pessoa pra pessoa, mas convenhamos que a vulgaridade não é sexy.

Minha mãe estes dias me disse uma coisa que é a mais pura verdade: Homem gosta de tentar ver aquilo que está escondido. Eles olham as mulheres que estão com tudo de fora (leia vulgar), mas logo cansam de olhar porque tudo está a mostra, não há mistério. Agora quando eles veem uma mulher que sabe mostrar na medida certa eles passam um tempo maior olhando já que eles tem um desafio maior: enxergar o que está escondido. E esse tempo maior é justamente o que nós precisamos pra conquistar o “pretendente”.

A vulgaridade veio pra estragar a imagem da mulher e fazer com que muitas feministas se mordam de raiva. Fazem com que a mulher seja vista como um objeto a disposição dos homens. Mas a sensualidade faz com que nós mulheres nos sintamos poderosas pois vemos os olhares nos seguindo e  sim, nós conseguimos muitos pequenos favores utilizando dessa “arma”. Conseguimos com jeitinho aquele desconto, aquele jantar fora que o namorado/marido não queria.

Nós mulheres temos que aprender a nos valorizar se queremos que alguém nos valorize. Chega das imagens de que podemos ser apenas a pacata dona de casa, perfeita ou a prostituta que não possui nenhum caráter. Podemos ser muito mais. Podemos ser mães, amantes, namoradas, empresárias, motoristas, soldadoras, militares, donas de casa. Na verdade nós já somos tudo isso, até mais!

sábado, 5 de fevereiro de 2011

É isso aí

"Não é necessário mostrar beleza a cegos,
nem dizer verdades aos surdos,

mas nunca minta pra quem te escuta,
e nem decepcione os olhos
de quem te admira.
O fim nem sempre é o final.
A vida nem sempre é real .
A roda nem sempre é gigante.
O passado nem sempre passou.
O presente nem sempre ficou
O hoje nem sempre é agora
O tempo?
O tempo não pára!."

quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

A única certeza: A morte

É estranho como muitos vivem. Passam a vida acumulando. Podem passar a vida acumulando amigos, inimigos, fama, dinheiro. O único porém de toda essa história é que pra que acumula-se tanto se não se usa.
De que adianta ter inúmeros amigos quando não se tem tempo pra compartilhar com eles, de que adianta o dinheiro se ele está sempre investido pra se transformar em mais. Não digo que seja ruim preocupar-se com o futuro e ter reservas, mas lembre-se de que a qualquer momento sua passagem na terra poderá terminar.
 Este é um assunto um tanto quanto mórbido pra ser abordado em um blog que está dando seus primeiros passos, mas é o que me passou na cabeça quando soube da última novidade do meu bairro: um rapaz estava passando por uma rotatória e foi atropelado, parece que a perna dele foi estraçalhada e alguma coisa, talvez uma hemorragia, o levou a morte.
Agora imaginemos que este mesmo rapaz fosse do tipo que lutava pra poder “acumular” em sua vida. E agora? De que adiantou? Sinto que nós lutamos muito pra acumular e não somos generosos com nossos desejos momentâneos, seja uma simples vontade de tomar açaí ou de comprar novas roupas, um novo carro, ou apenas um almoço em um restaurante legal de vez em quando.
Devemos pensar sempre em viver a vida e não só em acumular. Ou talvez seja realmente acumular, mas acumular algo mais interessante, como momentos. Sejam estes momentos de felicidade, adrenalina, prazer, e até mesmo momentos tristes, pois eles também fazem parte de nossa vida.
“O pianista Arthur Rubinstein atrasou-se para o almoço num importante restaurante de Nova York. Seus amigos começaram a ficar preocupados – mas Rubinstein finalmente apareceu, ao lado de uma loura espetacular, com um terço de sua idade. Conhecido por seu pão-durismo, nesta tarde ele pediu os pratos mais caros, os vinhos mais raros e sofisticados. No final, pagou a conta com um sorriso nos lábios.
- Sei que vocês devem estar estranhando - disse Rubinstein -, mas hoje fui ao advogado fazer meu testamento. Dei uma boa quantia para minha filha, para meus parentes, fiz generosas doações para obras de caridade. De repente me dei conta de que eu não estava incluído em meu testamento: era tudo dos outros! A partir daí, resolvi me tratar com mais generosidade.
Trate-se também com mais generosidade!
Trecho retirado do livro Maktub de Paulo Coelho. Você pode até não gostar deste autor, mas o que está importando aqui é a mensagem. ;)

domingo, 23 de janeiro de 2011

O início de tudo

Bem, pra quem possa interessar eu sou a Crislei, tenho 20 anos e moro numa cidadezinha pacata do interior de São Paulo. Sou técnica em Informática Industrial e em 2012 (antes do mundo acabar) serei tecnóloga em TI com ênfase em Banco de Dados.

Sou do tipo caseira, adoro ler, cinema e música. Mas quem quiser saber mais sobre mim pergunte ou descubra ao longo do blog.

Vamos ao que interessa: por que eu decidi criar um blog com o nome de Pensamento 100 censura. Simplesmente porque eu gosto da idéia de falar o que eu quiser, mas devo dizer que inicialmente a ideia era um blog com postagem anônima. O anonimato foi por água abaixo em uma aula de direito constitucional do cursinho. A constituição define que no Brasil é livre a expressão sendo VEDADO o anonimato. Isso naturalmente não impede muitos por aí de criticar anonimamente o trabalho de outros, mas decidi dar o bom exemplo.

Além disso eu acabei percebendo que eu não tenho que esconder nada (até porque duvido que esse blog vá ser muito visitado mesmo)... Sempre fui muito sincera o que nem sempre foi bom pra mim, mas espero que minha sinceridade renda bons frutos, ou melhor, bons posts.

Se está se perguntando sobre o que pretendo falar a resposta é bem simples. Um pouco de tudo ou muito de nada. Sou aquele tipo de pessoa que do nada pode inventar de falar de futebol. Não, eu não sou expert no assunto, mas entendo o suficiente pra assistir aos jogos de vez em quando com meu pai.
Sem muitas expectativas é o que peço a vocês leitores e com paciência com meus ataques que normalmente ocorrem na TPM

Boa leitura a todos, ou assim espero que seja! ;D